Fica onde?

Quem me conhece há algum tempo (diria mais que 7 dias) sabe que sou louca por viagens. Não só as minhas, mas também sempre me interesso por ouvir histórias das viagens dos outros, pergunto tudo que possa imaginar e quero ver as fotos sempre que possível. Para mim, viajar não é só pegar um avião e ir para outro lugar, mas também sinto que posso viajar ouvindo outras pessoas contando seus relatos, sejam elas amigas, parentes ou até mesmo estranhos. 

Por isso resolvi dar uma dica de viagem inusitada. Inusitada por dois motivos: primeiro, porque é um lugar que brasileiros não visitam com frequência e, segundo, porque nunca estive lá. li um livro e me senti como se estivesse lá, em Bali, na Indonésia. Para quem não sabe, Bali é uma província, uma ilha que fica cercada por todo o arquipélago indonésio. Apresenta diversas paisagens em um território tão diminuto: praias de água cristalina, planos cobertos por plantações de arroz, montanhas muito altas com vulcões ainda ativos. Sua população é amistosa e receptiva, consequência de problemas financeiros que ensinaram ao povo que o turismo é sua forma de sobrevivência mais fundamental. E para nós, turistas, o melhor de tudo: o custo de praticamente tudo é muito baixo. Um hotel de três estrelas pode sair por até 10 dólares a diária dependendo da região. 

E se nada disso o convenceu então vá pelo que é, na minha opinião, o melhor motivo de todos: quase 93% de sua população é hindu, a maior minoria étnica fora de um país que se possa encontrar. Imagine andar por uma ilha em que quase toda a população é formada de pessoas que vieram de um outro país. A cultura é muito diferente do que nós, ocidentais, estamos acostumados a presenciar em nossas viagens pela América e possivelmente Europa. Todos os hábitos diários estão impregnados de misticismo, até mesmo as atividades mais simples e rotineiras. Nada do que se faz por ali é por acaso ou não pensado. 

Embora nunca tenha estado ali, sinto como se já tivesse saudades do povo sobre o qual li tanto. 

Imagem

Ilustre visitante!

Ilustre visitante!

No dia 5 de Abril, recebemos na escola um húngaro que agora mora no Brasil, Peter. Peter vive aqui há dois anos, mas antes de vir para cá, morou 9 anos na Inglaterra, onde casou-se com sua atual esposa, brasileira. Tiveram uma filha ainda na Inglaterra, antes de se mudarem para cá. Peter veio até a escola para que os alunos pudessem treinar um pouco de inglês com um estrangeiro, já que Peter fala a língua fluentemente.

A experiência foi muito boa, já que Peter admitiu ter um português ainda muito fraco e preferir usar inglês sempre que possível. Os alunos puderam perguntar sobre sua terra natal, a vila Fabian Sebestyen, na Hungria, e sobre sua experiência na Inglaterra. Além disso, Peter contou como foi viajar por quase toda a Europa em sua juventude, e como está sendo para ele aprender nossa língua e nossa cultura. Contou sobre as maiores dificuldades, bem como as semelhanças entre brasileiros e húngaros.

Além do objetivo de treinar o inglês, pudemos discutir um pouco sobre choques culturais e dificuldades de um estrangeiro para se adaptar a um mundo totalmente novo. Os alunos puderam ver quão pouco sabemos de outros povos e quanto ainda podemos aprender sobre os falantes nativos da língua que estão aprendendo.

Vamos pintar ovos!

Pra nós brasileiros e apaixonados por chocolate esta época do ano promete! Tem gente que até conta quantos ovos de Páscoa ganha e faz questão de mencionar para os infelizes que se contentam com pouquinhos. Agora, será que você sabia que o hábito de comer ovos feitos de chocolate é tipicamente nosso?

Não, não inventamos a Páscoa, e muito menos somos os únicos a celebrá-la. Mas é fato que as tradições nos outros países são bem diferentes. A começar pelo fato de que nós tendemos a carregar a semana da Páscoa com muito mais preguiça do que o usual. Muitas escolas não abrem nem mesmo na quinta-feira que antecede a Sexta-feira Santa. Mas se você tem intenção de passar este feriado nos Estados Unidos ou Canadá, saiba que a quinta-feira é dia normal, todos trabalham e estudam! Além disso, os ovos não se parecem em nada com os nossos imensos de chocolate. Na verdade, a tradição é colorir ovos de verdade, além de fazer a famosa caça aos ovos escondidos. Doces as crianças recebem apenas numa cestinha, e isso quando recebem! Finalmente, nestes dois países, as pessoas param para assistir aos desfiles que, muitas vezes, não têm apelo religioso, apesar da origem do feriado. Aqui nós sabemos que todas as comemorações são organizadas pela igreja católica. 

Então, apesar de a Páscoa ser um feriado bastante celebrado em outros países do mundo, vale sempre aproveitar a oportunidade para conhecer como outras culturas o comemoram!

Dia de São o que?

Nós brasileiros estamos mais do que acostumados com os feriados religiosos do país. O difícil é encontrar alguém que conheça todos eles até. São tantos que simplesmente nos atemos às datas sem ligar tanto para os motivos. Acontece que em outros países a coisa é um pouco diferente. 

É o caso do dia de São Patrício, ou Saint Patrick’s Day, celebrado principalmente nos países de origem e colonização anglo-saxônica. O santo é um dos mais importantes e mais festejados em países como a Irlanda, Reino Unido e Nova Zelândia. A população faz festas, desfiles e usa a cor verde durante todo o dia 17 de março. Além disso, o símbolo é espalhado por todos os cantos, o trevo, e seu mascote, o duende, aparece em todo lugar.

Para você que está interessado em celebrar este dia no melhor estilo irlandês há boas opções aqui mesmo em São Paulo: todos os pubs irlandeses comemoram a data e decoram seus ambientes com a cor típica. Algumas sugestões de pubs que irão comemorar a data:

Republic Pub (Pinheiros)

O’Malley’s (Jardins)

St John’s (Tatuapé)

 

Aviso aos principiantes nesta celebração: por ser uma festa religiosa, o consumo de bebida alcoólica é desencorajado. Ok, se você acha que ir a um pub e não poder experimentar as famosas cervejas, desconsidere o sentido religioso e vá pela festa!

Mas três vezes?!

Ok, finalmente decidi postar algo específico para o estudo do Inglês. E, ainda por cima, para os viciados em filmes como eu. Afinal, não é à toa que milhares de pessoas repetem que assistir filmes em língua inglesa ajuda no aprendizado da língua. Agora, será que você está fazendo do jeito certo?

Em primeiro lugar, ver um filme que você já conhece minuto a minuto só vai ajudar a adquirir vocabulário (apesar de ser um pouco arriscado) e a corrigir sua pronúncia. Se o que você quer mesmo melhorar é sua compreensão a tática é outra. Infelizmente, terá que se arriscar com um filme que nunca viu. Além disso, o exercício deve durar no máximo 30 minutos, portanto, não, você não vai assistir ao filme todo (pelo menos não a princípio). O que você deve fazer é selecionar uma cena apenas (sugiro a primeira, para não estragar as surpresas do filme) e assisti-la 3 vezes, da seguinte maneira: a primeira sem legenda, com áudio em Inglês, tendo como objetivo entender a ideia geral, o enredo. A segunda, já com a legenda ligada (em inglês, é claro!), com o objetivo de confirmar suas deduções feitas na primeira tentativa, além de registrar mais detalhes. Não se apegue a palavras desconhecidas e, sim, foque nas que conhece. A terceira e última vez, novamente com a legenda ali, serve para focar na pronúncia das palavras, notando as diferenças (que existem!) entre o que é falado e o que se passa na legenda. 

Não nego que fazer isso com todos os filmes pode acabar um pouco com a graça de ver o filme em si. Mas o importante é encarar a atividade como um exercício de compreensão, e não como lazer propriamente dito. Portanto, escolha um momento a sós, em silêncio e sem interrupções. E se a primeira cena realmente for boa, então reserve o filme para ver num momento mais apropriado, com a companhia que quiser!

Beijos e bom filme!

Ano novo, vida nova!

Acho que todas as pessoas têm o costume de fazer grandes planos e promessas com o fim do ano e início de um novo. Comprometemos-nos com nós mesmos a melhorar em muitas coisas, largar velhos hábitos ruins. Os planos e promessas são importantes, mas é fundamental que os levemos a sério e não façamos disso um costume de todo ano, o qual esquecemos no meio de Janeiro.

Se você está pensando nas resoluções pra 2012 e achando que não há mais como insistir em coisas tão fora da realidade, aqui vão algumas dicas para se manter firme em suas decisões: é bom que se faça pelo menos 3 resoluções no fim do ano. Uma em relação à sua vida profissional, uma em relação à sua vida pessoal e uma relacionada aos seus maus hábitos. É importante ver sempre oportunidades de melhora em todos os aspectos da vida, mas com estes 3 pilares você pode se animar buscar mais.

Além disso, impor tarefas relativamente difíceis é importante. Não adianta se impor barreiras muito fáceis, que não exigem esforço. Mas também não podemos criar desafios impossíveis que nos desanimam logo no início. O melhor é dividir a tarefa em pequenos exercícios que vão aumentando de dificuldade conforme subimos os degraus. Assim, cada pequena vitória nos impulsiona adiante. 

I’m thankful for…

Sim, hoje é dia de Ação de Graças nos Estados Unidos. Para quem não sabe, a data só é celebrada lá e no Canadá, apesar de ser em uma data diferente neste segundo país. os Estados Unidos acontece sempre na quarta quinta-feira do mês de Novembro, e começou na época da colonização do país para celebrar a época das colheitas. Os fazendeiros faziam uma grande ceia para agradecer aos deuses a fartura do ano.

Hoje em dia, as pessoas agradecem não só a fartura, mas tudo o que sentirem vontade. A idéia é agradecer por coisas boas que aconteceram durante o ano, seja um novo emprego, um bebê na família. A parte principal é a refeição generosa, com o grande peru. Para algumas famílias, o dia de Ação de Graças chega até a ser uma celebração mais grandiosa do que o Natal.

Como nós brasileiros não comemoramos a data, é quase impossível encontrar restaurantes ou bares que façam algo especial neste dia. Mesmo as redes de restaurantes americanas no Brasil não costumam mencionar a data. Mas não é por isso que você precisa deixar este dia passar em branco. Simplesmente pare no fim da noite e agradeça pelas coisas especiais que aconteceram durante o ano. E se for para fazer direito, comece com “I’m thankful for…”

Leila